CarreirasDestaque

As vantagens da mentoria para aconselhamento de profissionais de alta gestão

Executivos da saúde enfrentam desafios constantes com mudanças e transformações do setor. É aí que entra o papel do “aconselhador”, um profissional experiente para ajudá-los nas diferenciadas situações

Novos modelos de gestão de negócios, sistemas assistenciais, protocolos e tratamentos estão entre algumas das mudanças pelas quais o setor de saúde vem passando nas últimas décadas. Com tantas transformações, até mesmo profissionais sêniores e executivos precisam de alguém experiente para conversar e se aconselhar, a fim de buscar soluções para determinados cenários que apresentam desafios e incertezas.

Nesse sentido, a mentoria ou mentoring representa uma alternativa para orientar sobre diversas questões que fazem parte da rotina de gestores da alta direção de organizações de saúde e outros setores. “Executivos também precisam ser aconselhados por especialistas para discutirem maneiras de lidar com questões desafiadoras em seus times, trocarem formas de criar relações positivas com seus colegas de trabalho e ampliar o autodesenvolvimento”, explica a Coordenadora Acadêmica do MBA e do Pós-MBA do Ensino Einstein, Monica Hasner.

Resumidamente, a missão do mentor é orientar e guiar o mentorado, para que ele enfrente os desafios da melhor forma possível. Trata-se de um processo de orientação e transferência de conhecimento em que um mentor apresenta ao mentorado seus aprendizados, suas vivências ao passar por situações semelhantes. É uma iniciativa ideal para ajudar a resolver conflitos, falhas e principalmente apontar para caminhos que tragam boas soluções e os resultados esperados. “A mentoria traz uma relação bilateral num ambiente totalmente seguro, em que se pode conversar livremente”, ressalta.

As fusões e aquisições, por exemplo, são circunstâncias favoráveis para uma mentoria. “O executivo de uma organização que acabou de ser comprada certamente vai se deparar com uma série de dúvidas sobre como proceder. Nesse momento, um mentor pode auxiliá-lo durante o processo de análise e entendimento do negócio, ajudando na condução de uma maneira adequada”.

O mundo corporativo apresenta muitos desafios em diversos momentos da gestão. “O fato de simplesmente sentar com alguém que está disposto a compartilhar seu conhecimento, adquirido ao longo dos anos, e nos orientar sobre os pontos positivos e negativos de uma dada situação pode, e muito, nos auxiliar no processo de análise para a melhor tomada de decisão”, afirma.

A mentoria é indicada para profissionais de todos os níveis hierárquicos, inclusive para aquele que está em um momento mais avançado de sua carreira. Nesse processo, quem ouve atento às recomendações adquire experiência e domínio sobre certas situações, na medida em que se torna mais confiante e seguro, ao ter mais conhecimento.

“Independentemente da maturidade profissional, reconhecemos a importância do papel de um mentor que domina sua área. Trata-se de um processo de amadurecimento, de crescimento profissional para o executivo”, destaca a Coordenadora.

Modelos de mentoria

A mentoria pode ser formal e informal. A primeira diz respeito aos mentores e conselheiros profissionais, que estudam caso a caso e implementam essa ferramenta, por meio de um ritual padronizado. Nesse modelo também é estabelecido um calendário de reuniões, com tempo definido, de acordo com o cenário em questão e os resultados projetados.

Já o informal refere-se a alguém dentro de uma empresa, ou do círculo de relações do gestor, que está ou esteve em uma posição profissional hierarquicamente superior ou igual ao do mentorado, dispondo-se a repassar sua expertise com base na própria especialização, vivência e sucesso obtido.

O mentor precisa entender de processos, hierarquias e diferentes modelos de negócios, tudo de acordo com o setor ou tipos de organizações em que atua, com bastante profundidade. Ele pode prever entraves administrativos e da cultura, bem como identificar as oportunidades específicas da empresa.

Esse profissional olha as questões de modo holístico e inovador, contribuindo de formas diferentes daquelas normalmente em vigor nas organizações, além de comumente ter em sua bagagem repertórios de outros negócios em que já atuou.

O relacionamento entre mentor e mentorado também pode se dar no formato horizontal, compartilhando o mesmo contexto, vivências e resultados positivos ou negativos. Um dos destaques da mentoria está na empatia e no não julgamento.

A mentoria ainda pode acontecer coletivamente. Esse modelo é recorrente no ambiente digital ou nas famosas lives, em que profissionais renomados ou com cases de sucesso em áreas como gestão de pessoas, comunicação corporativa, empreendedorismo e tecnologia compartilham suas experiências e recomendações, atendendo às dúvidas da audiência, que também aprende ao tomar conhecimento de outras realidades.

Nesses ou em outros modelos, o grande benefício do mentorado é absorver o máximo de conhecimento a curto prazo, experienciar a sua transformação de maneira suficiente para ampliar e melhorar a performance, sentindo-se apoiado sempre que tiver necessidade. “É beber de uma fonte com grande experiência para turbinar seu desempenho na carreira”, completa a Coordenadora do Pós-MBA do Einstein.

De acordo com ela, para obter resultados consistentes, é necessário identificar as competências essenciais do mentor. Inclusive é importante que ele saiba aprender com o fracasso, o qual muitas vezes é mais pedagógico do que o sucesso. Ter admiração e respeito pelo mentor também facilita a interação.

Quando e onde procurar a mentoria

Para garantir uma mentoria profissional é possível procurar uma empresa especializada em desenvolvimento de carreiras ou ainda por meio de network, divulgando o perfil desejado, sempre que o gestor, em comum acordo com a organização, julgar necessário. A seleção pode acontecer conforme o portfólio apresentado pelo fornecedor desse serviço dentro da área desejada.

Apesar de ser uma área relativamente nova, já existem diversas instituições no Brasil que prestam esse tipo de serviço. No mercado de saúde, esse aconselhador desempenha um papel fundamental, uma vez que as discussões sobre como desenvolver o setor são constantes.

Pós-MBA

No Pós-MBA do Einstein, destinado a profissionais que já cursaram MBA, Mestrado e ou Doutorado, o aluno conta com a mentoria individual como parte importante desse novo curso. “Estamos falando de empresários, presidentes, diretores, superintendentes etc. que lidam com desafios de modo rotineiro em suas áreas”.

Outro destaque complementar à mentoria do curso é o fishbowl. Trata-se de uma oportunidade para os alunos submeterem projetos específicos de gestão, a fim de discutir os melhores caminhos para o alcance dos resultados com especialistas. O Fishbowl é uma metodologia ativa de discussão em grupo, que tem como objetivo promover o diálogo e a troca de experiência entre os participantes, pautada no aprendizado por meio da colaboração, com a facilitação de especialistas que moderam esse debate em prol de encontrar possíveis soluções para um problema específico. O programa prevê a escolha de dois trabalhos, os quais serão analisados por especialistas do mercado em sala de aula. “É um privilégio ter o seu projeto discutido por quem entende do assunto”.

As inscrições para o Pós-MBA estão abertas e as aulas começam no dia 24 de junho. O curso terá formato híbrido (aulas presenciais e on-line), com carga horária de 84 horas.

Notícias relacionadas